segunda-feira, 18 de maio de 2015

Polícias maus ?

Aiaiai os Polícias são maus...

Então, sendo sobejamente conhecido que o jogo era de alto risco, em que Guimarães teve a maior operação policial de sempre num evento em Guimarães, pelos riscos inerentes que já eram conhecidos por todos antes do jogo e levam crianças a um jogo de futebol com esta natureza ?

Como queriam ser abordados num jogo com aquela tensão de tudo a ferver ? "Olá o Sr. desculpe lá estar a incomodar, mas não pode estar aqui e não convém porque os adeptos do Guimarães estão a agredir quem está vestido com aquipamentos do benfica" Vi um homem a dizer algo para a autoridade que não deve ter sido a desejar um bom serviço/trabalho.

Excesso de carga policial ? E quando a polícia está junto às carrinhas de prevenção e chovem garrafas de vidro para cima do nada ?? Qual a reacção que a os agentes da autoridade devem ter ? entender a chuva de garrafas como um convite para confraternizar e beber com eles umas cervejas ?

Pois... existe excesso de ambos os lados, pelos arruaceiros e por alguns agentes de autoridade. Mas o certo é que os agentes de autoridade têm de sobrepor-se neste tipo de tensão, caso contrário a democracia fica fragilizada.

Por isso, para quem abusa- Carga para cima deles !!!
Desabafo.




10 comentários:

  1. Que grande confusão vai nessa cabecinha. Uma coisa é uma coisa, agora uma outra coisa é uma ouuuutra coisa:). Primeiro "a maior operação de sempre" foi uma valente porcaria. A policia esteve mal em Guimarães, esteve mal no Aeroporto e esteve péssima no Marquês. Sabes quando altas patentes se reunem num gabinete...sem terem batido o terreno primeiro...dá nisto. Em Guimarães assaltaram, destruíram, vandalizaram, onde estava a polícia?! No Aeroporto viste o autocarro às voltas? sabes de quem foi a falha?! Da polícia, porque os senhores chefes não souberam explicar aos batedores o percursso que era suposto fazer para entrar direto para a área VIP. Resultado? o motorista andou feito palonço entre o piso 3 e o piso 0 sem saber onde era a entrada, com a policia como baratas tontas sem cordão feito sem nada...vergonhoso. E o risco de vida que tanta gente correu?! Em Lisboa foi o que todos vimos: O estado de sitio. Se fecharam o marquês ao transito, porque é que não estableceram um perimetro de segurança? Não defendo benfiquistas bebados, assaltantes e vandalos, mas que a polícia não cumpriu as suas funções, não cumpriu. Foi o fracasso total. Quanto ao pai de Guimarães certamente errou ao levar o puto de 8 ou 9 anos ao futebol, mas o subcomissário que o carregou não tem justificação. ponto. Não mistures as coisas, o homem estava sozinho cá fora (não estava a provocar ninguém), mais foi a própria PSP que o ajudou a sair do estádio!!! Vi pais no aeroporto com crianças de 2 e 3 anos às cavalitas, dois e três anos, vi uma criança que só por milagre não morreu esmagada por uma porta giratória e pela multidão no Aeroporto, vi o mesmo no Marquês....e só o pai que caiu no erro de levar o puto aàquilo que era suposto ser uma festa, o futebol é que é um desnaturado, inconciente? Ninguém esteve bem nesta história nem polícia, nem adeptos/bebados/assaltantes/vandalos, ninguém. Uma vergonha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Suri, a minha confusão não está somente aqui nos episódios de domingo.
      Nem assisti presencialmente a nada.
      Tenho amigos próximos que me contam episódios em que este tipo de pessoas, que não gosta de futebol, mas somente ligar o escape das frustrações da vida abrigadas no futebol.

      Eles dizem que não podem ter acções de cordialidade para este tipo de pessoas. No caso concreto do sub-comissário, vi à noite mais atentamente as imagens (depois de escrever este post), e sim, achei que completamente desproporcional. Diria mesmo que algum parafuso lhe caiu na altura... e não devia, por ser um graduado. No entanto, sabes que o futebol é algo que serve para esvaziar o balão, eu tenho reacções num estádio que não tenho no dia-a-dia - faz parte do que é o futebol. Por isso e por toda a conjuntura que o jogo envolvia, nunca se pode levar crianças para um estádio que iria estar a ferver, com agravante que os adeptos do Guimarães são dos mais fervorosos e revoltados (e aqui compreendo e sei interpretar). Portugal é um país que tem o foco somente em 3 clubes, e sei bem a revolta intriseca que os de Guimarães sentem neste futebol que está feito para existirem 3 clubes em Portugal. Costumo de dizer que o campeonato Português deviam ser somente 3 clubes. Com 10 voltas e jogavam apenas os 3 clubes uns contra os outros, A comunicação social não dá espaço a mais ninguém, e as receitas são consequentemente canalizadas para os 3. Uma vergonha de campeonato e de mentalidade do país, em que as pessoas são formatadas logo em pequenas a escolher um dos 3 clubes. Depois incute-se ter um 2º clube. Admiro os adeptos do Guimarães, admiro os adeptos do Braga, e claro os do meu clube, que infelizmente somos cada vez menos. A geração anterior à minha está a morrer/já não vai ao estádio e a minha está a ser asfixiada pelos 3 estarolas. Eu consigo resistir e quando vejo a histeria do país no domingo, ainda fico com mais orgulho em ser uma singularidade de ser 100% do meu clube.

      Quanto a Lisboa... como deves calcular, não vejo esse tipo de "festejos" mas pelas imagens, vi os tais frustrados com a vida em que eventualmente era o alcóol a tomar conta deles a dar vida a tudo o que estava parado. E aqui, estou completamente de acordo com as cargas.

      Bom dia Suri, Bjinhos !!

      Eliminar
  2. Em Inglaterra foram cometidas as maiores atrocidades por parte dessa gente que se usa do futebol para descarregar frustrações. A polícia esteve à altura deles, tomou medidas e hoje em dia deixaste de ouvir falar de ataques de hooligans ...Tomara que em Portugal a polícia (duvido!) esteja à altura do desafio, até porque as frustrações em Portugal tendem a aumentar!. Até possso estar a ser injusta é o mais certo, mas a classe de polícias que conheço preocupam-se mais em dar lustro e em passear a farda e a engatar miúdas do que própriamente em assegurar a segurança. No meu local de trabalho são assaltadas lojas nas barbas deles e com eles de serviço H24 pagos com subsídios a preço do ouro!!!

    Jinhoooooossss Bocas:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo parcialmente o que dizes.

      Um dos meus melhores amigos de infância, entrou para a PSP com umas ganas enormes de apanhar tudo o que mexia de pessoas que não respeitam o Estado de Direito.
      Saltava muros, corria literalmente atrás deles, e depois de 3/4 anos de serviço com uns processo em cima porque levava com advogados, que por falta de processos têm tempo de andar a espremer tudo da lei e consequente, ele começou a perceber que tinha também uma família em casa, andar armado em herói não compensava.

      Foi para os GOE (Grupo de Operações Especiais), agora está no Corpo de Intervenção e diz que tem uma vida calma e que não quer outra. Passa o dia a treinar corpo no quartel (é o meu Personal Trainer para dar conselhos. eheheheh), e só saem cá para fora para despejar bastonadas.

      (Ele agora está reformado de engatar miúdas, era da mesma religião que eu... ahahahah)

      E nos dias em que não está de serviço, se ele vir uma confusão na direita, elae finge não ver e vai para a esquerda... o motivo ? Pode ter de ir a tribunal num dia de folga e perde a folga ! E como nós, também tem uma família.
      Porque mudou ele de mentalidade de apanhar tudo ? Porque começou a sentir que o trabalho dele não era valorizado e que ainda tinha processos em cima. A população não tem actualmente respeito pela farda. Como ele diz, no Corpo de Intervenção, é onde ele encontra uma forma de estar em igualdade (eles atiram garrafas, agridem e aqui sim, sente legitimidade para usar a força e a segurança para que é pago, sem ser penalizado por estar a exercer a sua profissão.
      E é isto...

      Eliminar
  3. Se todos desistissemos assim de cumprir o nosso trabalho ao fim de 3 ou 4 anos de desilusões dos nossos sonhos de um mundo perfeito....então estavamos todos desculpados de sermos incompetentes, relapsos e calaceiros. Todos temos família. Todos temos que lutar pelo pão na mesa, mas só alguns o fazem com a consciência de ter dado o melhor de si. jinhooooossssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas nas nossas desilusões de profissão, não colocamos a vida em risco como eles colocam a correr atrás dos "artistas" e a confrontar (milhares de armas andam na rua) e depois ainda levam com processos em cima.

      Ele faz o melhor de si nas funções actuais, quando era "polícia de rua", sentia que os perigos inerentes não eram compatíveis com o que ganhava/riscos que arriscava. Hoje, está em igualdade de proporcionalidade que pode ajustar em sobreposição ao bandido.
      Falo nesta caso concreto, porque conheço muito bem ele, e este polícia aqui saltava mesmo muros, corria e corria para apanhar os rufias e depois percebeu que era recompensado com processos.

      Eu faria o mesmo !

      Bjokas !

      Eliminar
  4. Toda a gente erra, civis e policias.
    Há que apurar responsabilidades.
    E que se faça um inquérito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim...mas existem sempre os impunes. Civis e polícias...

      Eliminar
  5. Anónimo15:11

    Ao ler as tuas palavras acerca do teu amigo, parece que deixou de lutar tanto por aquilo que defendia quando para lá entrou, devido às limitações/restrições que lhes são impostas.
    Mas depois escreves: "Como ele diz, no Corpo de Intervenção, é onde ele encontra uma forma de estar em igualdade (eles atiram garrafas, agridem e aqui sim, sente legitimidade para usar a força e a segurança para que é pago, sem ser penalizado por estar a exercer a sua profissão.". De certa forma, reconhece-se maior legitimidade no Corpo de Intervenção, que podem impor mais a ordem. Sabe-se que "não brincam".

    O teu amigo e os colegas devem, efectivamente, dar bastonadas e cargas policiais sobre esses arruaceiros!
    Foi uma vergonha o que se passou antes do jogo, e pior ainda no Marquês. Já sem falar na destruição nas instalações do estádio do Vitória. São autênticos vândalos, que só vão provocar desacatos, confusão, destroem e causam um enorme sentimento de insegurança.
    Para esses, devia ser cacetada e carregar neles, sem dó nem piedade.

    Mas o sub-comissário exagerou. Deu 2 murros naquele avô e foi excessivo com o pai.
    De realçar positivamente o polícia de intervenção que abraçou o miúdo (que entretanto tinha feito chichi nos calções, tal foi o pânico em que estava), para evitar que ele visse a cena e para o confortar/amparar.
    Joana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois.
      O bom senso é sempre algo que todos temos a obrigação de encontrar. Mas nem sempre existe o discernimento para tal.

      Como diz acima a Vassouradas, todos erramos. Eu acrescento, normalmente até erramos todos os dias.

      Eliminar