segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Convívio de Traineira.

Sou orgulhoso, da cidade onde eu nasci
Não há outra igual a ela 
Entre as muitas que eu já vi
Sei muito bem, que Lisboa é a capital
Mas Lisboa só por si, não é todo o Portugal

Sou orgulhoso, cá da minha região
Ou não tivesse eu nascido 
No Bairro Dias Ferrão
Setúbal linda, és a minha inspiração
E o que eu vejo do meu bairro 
Vou dizer nesta canção

Vejo da minha janela 
O castelo de Palmela
A quinta de São de Romão
Vejo o bairro do Liceu 
E quase a bater no céu
Telhados de Montalvão

Vejo o farol da Azeda, 
Brancanes a Reboreda
Vejo o Estádio do Bonfim
Vejo a torre do Outão, 
A ponta do Camalhão
Vejo o Rio Azul no fim

Sou orgulhoso, da cidade onde eu nasci
Não há outra igual a ela 
Entre as muitas que eu já vi
Sei muito bem, que Lisboa é a capital
Mas Lisboa só por si, não é todo o Portugal

Também temos cá varinas 
Brancas salinas
E coisas mais
O peixe a saltar vivinho
Temos bom vinho
Bons laranjais
                                            Mário Regalado 
 
 
 
 Saudades daqueles fins de semana, em que um dos meus Tios levava a traineira para irmos passear em lazer, estacionar, acender o fogareiro e colocar peixe ao lume que tinha apanhado na faina do dia anterior.

Num estacionamentos perto da praia, vi um fundo límpido com aquela areia branca que só naquele local existe e uma água atractiva num dia de calor.
Perante aquele cenário, e, convicto em saltar para o mar, avancei pensando que chegava com os pés à areia. Errei, e foi um dos maiores sustos que me lembro ter tido. Devia ter uns 5/6 anos.
Aquilo eram verdadeiros e puros convívios- velhos tempos em que eu era um ser social. :P

6 comentários:

  1. Eras social e não fazias fretes:)...não te consigo criticar, eu também não faço fretes...acho ainda que ninguém devia fazer, tudo deveria ser natural como a sede:)


    jinhoooooossssssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Yupiiiiiiiiiiiiiii

      Isto aqui contigo...fica logo com outra cor ! :P
      Mais uma pessoa que me compreende. :)

      Fretes ? Coma idade a avançar, uma pessoa, não pode perder tempo com coisas que não nos dizem nada ! E a vida é tão curta...é como estar numa fila de espera - tempo perdido ! :)

      Bjinhosss minha Suriiiiiiiiiiiiii

      Eliminar
  2. A pessoa cresce e torna-se anti-social... acontece aos melhores :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou interpretar como um elogio.
      Ma, talvez ter a capacidade de colocar o pó de arroz, seja salutar em certas situações. :)

      Bjinhos Marroquina !

      Eliminar
  3. Anónimo16:34

    Talvez continues um ser social, apenas não o sejas em ambientes que não o teu (como o fim‑de‑semana que descreveste no post anterior e que não estiveste para fazer fretes).
    O mar corre-te no sangue, é a tua essência. Com certeza com os amigos dessa altura continuas um ser social, pois é esse o teu mundo, o conforto onde te sentes bem.
    Joana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sinto-me dentro da minha água, mas o tempo também por lá passou e a afinidade já não existe com todos os peixes daquela água.

      Coisas que o tempo faz - normal. Mas existem lá 3 dedos de uma mão, em que partilhamos o mesmo aquário. :P

      Bjinhos Joana !

      Eliminar